Misturar infoproduto com pirâmide

Um dos textos que mais rendem boas discussões diz respeito aos “infoprodutos”, arquivos digitais que, na maioria dos casos, apenas compilam conteúdos abertos disponíveis em rede, e oferecidos de forma altamente persuasiva a preços acessíveis, promovendo uma avalanche de pequenas transações. Em textos anteriores, também ressaltamos a boa e velha prática criada por Charles Ponzi há quase cem anos: pirâmides que contam com múltiplas participações com a promessa de rendimento rápido.

Pois Paulo Simões, pernambucano de Serra Talhada, “misturou” as duas técnicas de uma forma bastante inteligente a partir do site aquy.net. A ponto de seu sistema “Aquy Money” deixar bem claro o nome e endereço do responsável. Resumidamente, o usuário interessado está comprando um infoproduto chamado “O Enigma Milagroso” (síntese do livro “O Segredo”), mas o pagamento de R$ 25 é feito em cinco contas do PagSeguro determinadas pelo próprio sistema – um deles é o do “administrador”, isto é, o próprio Paulo. Cadastrado no sistema e com uma conta do PagSeguro, é preciso propagar o link – um subdomínio personalizado – de tal forma que todos os participantes recebam depósitos de R$ 5, dependendo claramente do volume de indicados em cada nível.

Por que não parece fraude? Simples: o usuário interessado não está perdendo R$ 25, mas sim “comprando um infoproduto e conquistando a chance de se transformar”. A sensação de segurança aumenta ao identificarmos nome, sobrenome, endereço e CNPJ do responsável. Mas, obviamente, o “não parece” acaba aí.

E por que é roubada? Uma rápida pesquisa indica que o site aquy.net possui pouco mais de 700 usuários que se cadastraram e divulgaram seus subdomínios. Todos eles já depositaram R$ 5 para o administrador e esperam que, ao menos, outros cinco usuários dediquem seu tempo a criar uma conta no PagSeguro, efetuar todos os cadastros, pagamentos… Um e-book com conteúdo similar disponível gratuitamente não parece motivação suficiente para tamanho investimento de tempo. Sem contar a obviedade dos tempos de Ponzi: imagine que cada um dos atuais 700 membros sonhem com dividendos infinitos. Cada um teria que contar com cinco (o que já é muito difícil), totalizando 3500 membros. Estes contariam com mais cinco (17500)… Para finalizar os cinco níveis, seriam necessárias pouco menos de 2,2 milhões de pessoas…

Claro que o único felizardo nessa história é o Paulo Simões. A estratégia é genial, a exceção das histórias “sistema similar a um norte-americano apresentado no programa da Oprah” e “livro registrado na Biblioteca Nacional”, entre outros rastros que, caso não possam ser confirmados, podem caracterizar seu Aquy Money como “golpe” ou “má fé”.

2 thoughts on “Misturar infoproduto com pirâmide

  1. Olá a todos, já lí em outros blogs todos os comentários e observei o seguinte: ninguém falou o quanto já ganhou em dinheiro no Aquy Money, parece que todos estão na mesma barca em direção a terra do nunca, não precisa dizer que o Aquy Money é novo porque não é!.
    Eu pelo menos já conheço há mais de 1 ano.
    Livro a gente compra na livraria, com capa e leva para onde quiser.
    Site verdareiramente correto, com chat ao vivo e fones onde vc fala direto com a administração é este:
    http://www.focobrazil.com visite o site e tira suas dúvidas.
    Obs: este site nem de longe se faz lembrar em pirâmide.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *